© 2023 por Armário Confidencial. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • b-facebook
  • Instagram Black Round

SIGA-ME!

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

POSTS RECENTES: 

Please reload

FEED INSTAGRAM

Restaurantes em Mendoza

30.01.2019

Para finalizar a série de posts sobre Mendoza, vim falar sobre os restaurantes que fomos e gostamos na cidade, e sobre um que não gostamos.

 

Há muitos restaurantes super indicados na cidade, de chefs famosos e tal, e então quando organizamos a nossa viagem, decidimos ir a um desses top restaurantes, o Azafrán. Reservei nossa mesa com meses de antecedência, porém no dia de nossa reserva, não conseguimos ir! Acontece que em Mendoza você passa o dia todo fora, visitando normalmente três bodegas por dia e almoçando em uma delas. Geralmente, esse almoço é harmonizado e a refeição é super bem servida - couvert, entrada, principal e sobremesa, e acabamos retornando para o hotel por volta das 17 horas mega satisfeitos, recém almoçados. Simplesmente não tínhamos fome alguma às 20 horas da noite, hora de nossa reserva e normalmente horário máximo em que os restaurantes aceitam reserva. Tentei mudar nossa reserva no Azafrán, porém não consegui e optamos por abrir mão de jantar lá - ninguém tinha fome às 20h e achamos que não valeria a pena ir apenas por ir.

 

Nas primeiras duas noites fomos em restaurantes regulares, um dia próximo ao hotel e no outro no shopping de Mendoza, porém nos outros dias tivemos mais sorte, vou contar aqui onde fomos e gostamos.

 

Chachingo

 

Essa cervejaria artesanal/restaurante/bar é do Alejandro Vigil, enólogo da Catena e dono da El Enemigo, e fica na Av. Arístides Villanueva, uma rua do lado de nosso hotel que tem um bar atrás do outro, super movimentada e cool. Durante nosso primeiro tour em Mendoza, nossa motorista passou por lá de dia e falou que a rua é uma delícia de passear à noite e que deveríamos ir um dia no Chachingo, o bar do Alejandro Vigil. Como amamos a experiência na El Enemigo, achamos que valia a pena experimentar.

 

No dia em que perdemos a reserva no Azafrán, decidimos ir ao Chachingo, lá por volta das 22 horas, quando a fome de fato começou a bater. Que delícia! Pedimos várias porções de entrada e vários drinks/cervejas e nos deliciamos, vale a pena conhecer. Destaque para o preço super justo, os drinks custavam metade do que pagaríamos em um restaurante equivalente em São Paulo.

 

Endereço: Av. Arístides Villanueva, 383

Telefone: +54 261 338-6365

Tirei as fotos do ambiente quando estávamos indo embora, por isso tudo está tão vazio! 

 Hummm!

 

Maria Antonieta

 

Literalmente ao lado do nosso hotel, esse restaurante chamou a atenção desde o primeiro dia: os pratos tinham uma cara ótima e estava sempre cheio! No último dia da viagem, decidimos arriscar e após uma espera de cerca de 1 hora (que gastamos passeando nas lojas de vinhos que haviam por perto), conseguimos uma mesa externa. O ideal é reservar, porém considere aquele probleminha de horário descrito acima!

 

Mesmo indo lá bem tarde, eu estava praticamente sem fome, e optei pela única opção de salada do menu: uma salada de melancia com manjericão, tomate cereja, queijo de cabra e molho pesto. E não é que estava uma delícia e super refrescante? Adorei! Murillo também estava meio sem fome e pediu uma burrata como prato principal e se esbaldou, estava deliciosa.

 

Ao voltar para o Brasil, descobri pelo blog Viaje na Viagem que o Maria Antonieta é comandado por Vanina Chimeno, esposa do chef superstar de Mendoza Francis Mallmann (do restaurante 1884).

 

Endereço: Av. Belgrano, 1069

Telefone: +54 261 420-4322

Parece estranho, né? Mas estava uma delícia!   

A burrata do Murillo!

 

Azafrán

 

E não é que conseguimos ir ao Azafrán? Rsrsrsrs. No último dia de viagem, o dia da volta, nós arrumamos as malas, fizemos checkout e deixamos nossas malas na recepção do hotel para dar uma última volta na Av. Sarmiento, ao lado do hotel, para últimas compras de vinho.

 

Tínhamos cerca de 45 minutos para um almoço rápido e decidimos arriscar o Azafrán - melhor coisas que fizemos! Os restaurantes da cidade não são tão concorridos na hora do almoço, quando a maioria dos turistas estão nas visitas às vinícolas, então conseguimos uma mesa. Foi a melhor refeição em restaurante da cidade, ele realmente merece a fama que tem. O Ambiente é lindo, a comida deliciosa e super bem apresentada. Há tempos não comia um risotto tão gostoso. E o creme brulée de doce de leite então? Delicioso e mais parecia uma obra de arte de tão lindo!

 

Endereço: Av. Sarmiento, 765

Telefone: +54 261 429-4200

As fotos estouraram um pouco, o restaurante tem bastante luz natural! 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Creme brulée de doce de leite do Azafrán!

 

Agora o que não indico:

 

Nas primeira noite na cidade, recém chegados, ficamos zanzando pela cidade procurando algum lugar bacana que tivesse mesa disponível para jantarmos - tarefa difícil já que por conta do feriadão a cidade estava cheia turistas brasileiros!

 

Na esquina do nosso hotel vimos um restaurante chamado Oregano e achamos uma gracinha, parecia um italiano/pizzaria descolado. Depois, viemos a descobrir que é um dos restaurantes do momento, mais uma empreitada do chef Francis Mallmann na cidade e tem essa proposta mesmo de ser um italiano moderno.

 

Fomos extremamente mal atendidos! Chegamos cedo e haviam poucas mesas ocupadas Fomos literalmente ignorados. A muito custo conseguimos chamar a atenção de um dos garçons (são todos no estilo modelete de cara fechada). Perguntou se tínhamos reserva, e eu disse que não, e então ele disse que não tinha mesa. Perguntei se havia algum horário em que eles liberavam mesas de reservas que não vieram e ele disse que não, tentei sugerir um local para colocar uma mesa com cadeiras, que mesmo meio apertado ficaria bom para nós e ele se negou. Falou que podíamos esperar mas não deu previsão alguma, nem pegou nosso nome nem nada. Achei muito lamentável, não recomendo!

 

Com esse post encerro a série sobre nossa viagem à Mendoza, na Argentina, um ótimo destino para quem gosta de comer bem e tomar vinhos excelentes - mesmo para quem não entende nada de vinhos como nós, vale muito a pena! É uma oportunidade de aprender bastante e passar ótimos momentos na companhia de família e amigos!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload